domingo, 23 de maio de 2010

futilidade.

Cara,eu to ficando doida.é sério.motivo?o negócio é o seguinte : de uns tempos pra cá decidi ser psicanalista,então resolvi me empenhar ainda mais em uma das únicas coisas que eu sei fazer : analisar todo e qualquer ser humano que tenha a infeliz idéia de cruzar meu caminho.e,sinceramente,to começando a considerar a possibilidade de raspar todos os pêlos do meu corpo e me tornar um anfíbio,para tentar fugir da humanidade.gagaok,me tornar um anfíbio já não é uma coisa muito normal de se cogitar,mas é isso ou me internar num sanatório de vez,ou virar um monge tibetano.analisei,analisei,e,novamente,analisei todo mundo que eu vejo passar pela rua,todos aqueles que se encontram no meu Orkut e até mesmo o site Capricho.resultado : me espantei.é muita futilidade.MUITA.com algumas exceções,a futilidade anda tomando conta da vida desse povo.sério,a vida das pessoas anda se baseando nas coisas mais triviais possíveis,tipo fofocas sobre o último corte de cabelo do vocalista da Cine,bonés de marca e até mesmo a nova concepção do que é ser “alguém”.ser “alguém” hoje,é seguir religiosamente à toda e qualquer modinha retardada que for imposta,mesmo que seja virar pegador,e se atracar com qualquer coisa que se mova.hoje em dia,aliás,isso não é de hoje,é de tempos,mas a coisa vai se agravando cada vez mais,as pessoas andam se tornando cada vez mais idiotas e sem personalidade.todo mundo se julga diferente (FATO),mas no fim das contas,é todo mundo igual.só se preocupam com pôr fotos no Orkut atoladas de edição de PhotoScape,ter centenas de amigos (sendo que 90% deles o dono do perfil não tem a mínima idéia de quem seja) e simplesmente esquecer o significado do amor.é,você leu direito,o significado do amor.ao que me parece,já se foi o tempo em que se dizia “eu te amo” para o pai ou para a mãe,para os familiares e para os amigos de verdade.agora dizer um “eu te amo” é quase como dizer “tchau” quando se vai desligar o telefone.simplesmente se diz isso pra qualquer um,mesmo sendo alguém que você conhece a menos de 24 horas.
Simplesmente,agir como os personagens de Gossip Girl e se tornar mais um idiota acéfalo na sociedade é a nova onda,tal e qual a questão da bissexualidade.antes,ser gay ou bissexual era uma coisa que a pessoa sentia,algo que ela descobriu com o tempo.hoje,ser bissexual é moda.não tenho absolutamente nada contra homossexuais,mas eu acho ridículo quem vira bi só para entrar na moda.aliás,até a palavra “moda” recebeu um novo significado.antes,”moda” era o que estilistas como Dior ou Coco Chanel apresentavam nas passarelas.hoje,moda é ser cabeça de vento e usar roupas verde marca-texto.
Então,por favor,entre nessa campanha comigo (antes que eu reconsidere a teoria dos anfíbios) : SEJA ORIGINAL !

quarta-feira, 19 de maio de 2010

modinhas 2.bola da vez?bandas ''coloridas''


é né,eu aaaamo assuntos que normalmente fazem a geral feminina adolescente ficar P* da vida.

pois bem,como eu adoro fazer isso,é humanamente impossível ficar sem falar na coisa que mais tem repercussão na vida desse povo : modinhas.é incrível como um bom marketing e um bom empresário transformam simples e reles seres humanos em sonho de consumo de várias adolescentes histéricas.com o passar dos anos,novas bandas,novos filmes e novos livros surgem,o que faz gurias de 9 a 16 anos gastarem todo o seu dinheiro sem o mínimo de pudor com qualquer bugiganga que for às pratelheiras,desde que a mesma tenha a cara do Robert Pattison ou da Banda Cine estampada.
uma das últimas modinhas a ser lançada foi as tais "bandas coloridas".gagaok se você não entendeu o que é isso,mas calma aí que eu explico:algum tempo atrás,por conta de uma também modinha (os emos),era mega comum as bandinhas novas se vestirem de preto e colocarem uma franja lambida na cara.porém,agora eles resolveram reinventar isso,já que o pessoal já tinha enjoado de passar 3 horas na frente do espelho atolando os olhos com lápis de olho para logo em seguida borrar tudo de tanto chorar (tá,eu TAMBÉM não entendo muito bem a filosofia da coisa,mas ok).então resolveram transformar o preto em cores neon (tipo verde,rosa,laranja).to pra te dizer que,na parte que teoricamente deveria ser o principal,a música não evoluiu em nada.continua sem nexo e cheia de "yeah,yeah".mas enquanto as gurias continuam movimentado esse mercado,mesmo que inconscientemente,continuam e continuarão a lançar novas modinhas.como sempre foi,e sempre vai ser.
UM VIVA PRO CAPITALISMO !

sério,to me assustando com essa mania.

segunda-feira, 17 de maio de 2010

domingo, 16 de maio de 2010

modinhas.bola da vez?Crepúculo & CIA.


"-Eu não ligo.
-Já matei pessoas.
-Isso não importa.
-Eu quis te matar.Nunca desejei tanto sangue humano na minha vida como o seu.
-Confio em você.
-Não confie.O seu cheiro é como um droga para mim.Como a minha própria porção de heroína.
-Por que você me odiou quando me conheceu?
-Só te odiei porque eu te quero tanto."
Acredite se quiser,isso é uma declaração de amor.O trecho acima é parte do livro Crepúsculo,que é o primeiro dos quatro livros de meeeeeeeega sucesso da escritora Stephanie Meyer.
Agora,meu caro leitor,você deve estar se perguntando:qual o motivo de tanto sucesso?Não sei.Sinceramente,achei tudo isso uma enorme babaquice.Vamos do começo : O livro parece ter sido escrito por uma romantica incurável de 15 anos,além do fato de que a autora descreve a mesma coisa trinta vezes antes de mudar de assunto.Admito que só li algumas páginas do tal livro,mas me apavorei com o enredo e com os personagens.O principal é um vampiro de 117 anos,que quer uma guria de 17 (isso não deveria ser considerado pedofilia?),mas daí o negócio começa a complicar,pois ele tem uma relação de amor&ódio com a coitada.Já a guria é a Bella,que na verdade é uma baita monga e só faz bobagem o tempo todo.Ela conheceu o tal namoradinho vampiresco na sua nova escola em Forks,uma cidade esquecidade por Deus,e por todo mundo.O romance dos dois se baseia na vontade (quase)incontrolável do vampiro vegetariano de querer chupar o sangue da Bella.Fora isso,ainda tem uma coisa que eu não engulo nesse tal Crepúsculo : o fato do Edward ( o vampiro-pedófilo-vegetariano) ir para o o Sol e se transformar na Globeleza.Em todas as histórias de vampiros ao longo dos séculos,os vampiros que iam para o sol viravam pó,mas já que a autora resolveu "inovar",agora eles brilham mais que alegoria de abre-alas da Grande Rio em plena Marquês de Sapucaí.Mas gagaok,deixa ela ser feliz.Além de tudo isso,a autora vai de 0 a 1000 no quesito sexualidade.No primeiro livro,a coitada da Bella demora um horror de tempo pra receber um simples beijo,enquanto no último livro ela vive cheia de hematomas por conta do sexo-selvagem.Não sei se isso é um exemplo que se dê para adolescentes que ainda não tem cabeça formada,mas tudo bem.
Já não bastando essas "obras",ainda fizeram o filme.Pronto,foi o que bastou para milhares de adolescentes à procura da própria identidade e de um amor eterno virassem fãs dessa trajédia.Além da idolatria ao "liiiiiiiiiiiiiiiiiiindo" Robert Pattison,ainda criticam todos aqueles que não leram Crepúsculo e ainda dizem que quem não leu está "por fora".
Na boa,eu nunca vi uma simples história dar tanto pano pra manga.Mas eu me senti na obrigação de dar minha humilde opinião em relação a isso tudo.Querem um livro descente?Leiam o Drácula !

terça-feira, 11 de maio de 2010

All Stars


Pois é,o tempo passa e quando se dá pela coisa a gente fica quase um mês sem postar nada.Porém,na sexta-feira passada eu me arrumava para uma festa,enquanto calçava o meu idolatrado All Star vermelho.Enquanto amarrava os cadarços do dito cujo,tive uma ideia,fazer um post sobre a única coisa que marca meu estilo.Sim,eu uso All Star faz 4 anos.Porém,fui taxada de emo.Gagaok se você não entende o porque do rótulo que me foi designado,pois eu também não sei.Então aqui compartilho com vocês,meus amados leitores,um pouca da história do tênis mais famoso de que se tem notícia,o All Star.

Em 1917 a fábrica da Converse produziu o primeiro All Star,com a intenção de fazer um tênis para ser usado na prática do Basquete (tudo a ver com emo,não?).Porém como nem tudo são flores nesse nosso lindo mundo capitalista,o tênis precisou de um empurrãozinho da mídia para ganhar seu lugar ao Sol.Foi quando Chuck Taylor (um jogador de basquete) adotou os tais tênis de lona como seu preferidos.Depois já viram ?O tênis vendeu que nem água e se tornou um dos mais populares da época.Após sugerir algumas adaptações,o All Star cano médio ganhou assinatura do jogador junto à marca Converse.Obviamente,os consumidores passaram a exigir novos modelos e novas cores.Assim surgiu o nosso amado All Star de cada dia.O All Star é o tênis mais bem sucedido da história,sendo vendido em todas as partes do mundo.Ele entra em vários estilos,mas marcou muito o estilo rock 'n roll e o estilo dos 80's.Ou seja,não tem nada a ver de taxar quem usa All Star de emo.Não que eu tenha algo contra emos,aliás não tenha nada contra nenhum estilo,mas que é irritante aturar a pirralhada toda te enxendo,ah isso é.

Pois bem,concluíndo : All Star entra no estilo de cada um,e não tem esse negócio de rótulo.Ponto.

segunda-feira, 3 de maio de 2010

é meu povo...

faz tempo que eu não dou as caras por aqui.e já que to sem inspiração,só uma foto que me rendeu um ataque de risos :