domingo, 23 de maio de 2010

futilidade.

Cara,eu to ficando doida.é sério.motivo?o negócio é o seguinte : de uns tempos pra cá decidi ser psicanalista,então resolvi me empenhar ainda mais em uma das únicas coisas que eu sei fazer : analisar todo e qualquer ser humano que tenha a infeliz idéia de cruzar meu caminho.e,sinceramente,to começando a considerar a possibilidade de raspar todos os pêlos do meu corpo e me tornar um anfíbio,para tentar fugir da humanidade.gagaok,me tornar um anfíbio já não é uma coisa muito normal de se cogitar,mas é isso ou me internar num sanatório de vez,ou virar um monge tibetano.analisei,analisei,e,novamente,analisei todo mundo que eu vejo passar pela rua,todos aqueles que se encontram no meu Orkut e até mesmo o site Capricho.resultado : me espantei.é muita futilidade.MUITA.com algumas exceções,a futilidade anda tomando conta da vida desse povo.sério,a vida das pessoas anda se baseando nas coisas mais triviais possíveis,tipo fofocas sobre o último corte de cabelo do vocalista da Cine,bonés de marca e até mesmo a nova concepção do que é ser “alguém”.ser “alguém” hoje,é seguir religiosamente à toda e qualquer modinha retardada que for imposta,mesmo que seja virar pegador,e se atracar com qualquer coisa que se mova.hoje em dia,aliás,isso não é de hoje,é de tempos,mas a coisa vai se agravando cada vez mais,as pessoas andam se tornando cada vez mais idiotas e sem personalidade.todo mundo se julga diferente (FATO),mas no fim das contas,é todo mundo igual.só se preocupam com pôr fotos no Orkut atoladas de edição de PhotoScape,ter centenas de amigos (sendo que 90% deles o dono do perfil não tem a mínima idéia de quem seja) e simplesmente esquecer o significado do amor.é,você leu direito,o significado do amor.ao que me parece,já se foi o tempo em que se dizia “eu te amo” para o pai ou para a mãe,para os familiares e para os amigos de verdade.agora dizer um “eu te amo” é quase como dizer “tchau” quando se vai desligar o telefone.simplesmente se diz isso pra qualquer um,mesmo sendo alguém que você conhece a menos de 24 horas.
Simplesmente,agir como os personagens de Gossip Girl e se tornar mais um idiota acéfalo na sociedade é a nova onda,tal e qual a questão da bissexualidade.antes,ser gay ou bissexual era uma coisa que a pessoa sentia,algo que ela descobriu com o tempo.hoje,ser bissexual é moda.não tenho absolutamente nada contra homossexuais,mas eu acho ridículo quem vira bi só para entrar na moda.aliás,até a palavra “moda” recebeu um novo significado.antes,”moda” era o que estilistas como Dior ou Coco Chanel apresentavam nas passarelas.hoje,moda é ser cabeça de vento e usar roupas verde marca-texto.
Então,por favor,entre nessa campanha comigo (antes que eu reconsidere a teoria dos anfíbios) : SEJA ORIGINAL !

3 comentários:

  1. Muito bom Mari, saudades! BJUS!

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. "e simplesmente esquecer o significado do amor.é,você leu direito,o significado do amor.ao que me parece,já se foi o tempo em que se dizia “eu te amo” para o pai ou para a mãe,para os familiares e para os amigos de verdade.agora dizer um “eu te amo” é quase como dizer “tchau”"

    Acho que se ainda há alguém que pense assim, mandando essa geração efusiva se danar, talvez o mundo possa ser salvo. Hoje tudo ficou vazio, com esses "eu te amo" mais triviais do "que bom dia". Claro que vindo de uma onda, cujo emos são os melhores por cantarem que é bonito ter dor de cotovelo, e cortarem o pulso com giletes para chamar a atenção, não se pode esperar algo diferente. (Aliás, aproveitarei esse desabafo, e mandarei um emo em especial se fuder!) Obrigado, até mais ver e me chama se virares anfíbio. Eu viro também. De preferência alguma rã exótica que introjeta veneno.

    Mais uma vez, palmas e palmas. Uma das melhores coisas que ando lendo em termos de blog! Parabéns e um beijo

    P.S. Quem me indicou teu blog foi o Vagner Borck, vulgo o Panda, hahaha... E valeu por seguir e comentar nas "Crônicas do Sr. Apêndice" ;)

    ResponderExcluir