sexta-feira, 24 de setembro de 2010

sou diferente até nisso.

apelando para um lado,digamos,mais profundo de meu ser,farei um post em xingar,criticar,avacalhar modismos e afins (fãzinhos queridos,podem se acalmar agora,ok ? ).
não sei se alguém aí (se é que tem alguém aí) já reparou,mas de todos os blogs que eu conheço,no mínimo 95% deles são sobre decepções amorosas (isso não inclui o do Sr. Apêndice,só pra constar).
sei lá cara,acho que eu sou fria demais pra essas coisas. o mais interessante,é que a maioria,não,TODOS,são de adolescentes.eu,particularmente,acho que na adolescência,AMOR não existe,tal e qual maturidade emocional ( esse último,na maioria dos casos). eu me impressiono também com o nível de profundidade que eles falam do amor. é como se eles tivessem quase 120 anos e tivessem perdido o amor da vida deles no afundamento do Titanic. mas tá,eu não sou ninguém pra querer dar lição de moral. eu admito que eu tenho culpa no cartório quando o assunto é "amor adolescente" (caralho,nem sei como isso foi acontecer comigo,sério mesmo).mas enfim,eu deixei aquela história maluquete e sem nexo de lado e me dediquei àquilo que eu realmente fui designada : ser a criatura mais desapegada,que menos presta,quem mais pensa e que é a mais negativa de que se tem notícia.
voltando ao amor,acho que esse povo aí deveria parar de achar que a sua vida é um poço de desesperaça e tristeza (falo por experiência própria).acredite,já passei por coisas milhões de vezes piores e continuo aqui,viva.ou quase isso... o foda é que quase ninguém acredita em mim,mas tá.quem viveu fui eu não eles,então nem tem como eu tentar exigir o mínimo de compreensão desse povo.
só para finalizar,acho que menos apego(exagerado) e mais bom senso trariam benefìcios para os jovens. sem mais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário