terça-feira, 27 de março de 2012

GURIZADA, FIZEMOS UM VLOG !

Então gente, eu e o meu amado priminho Heitor resolvemos que não adiante ser babaca, tem que ser babaca na internet ! Fizemos o nosso novo vlog, o FALA SÉRIO,PORRA! Quem curtir, divulga, coloca no twitter, vamos lá !

sexta-feira, 16 de março de 2012

Eu quero um sonho realizado.

Onze horas. Depois de alguns goles de Johnny Walker qualquer pessoa se anima. Mas não era o meu caso. Eu já estava animada mesmo antes de chegar a Estação Rodoviária de Porto Alegre. Local? Cidade Baixa, Bar Opinião. Meia quadra do apartamento do meu irmão. Parecia que aquilo não estava acontecendo. Onze e vinte. Entrando no Opinião. Quadros com led de todas as bandas de rock possíveis. O coração vai acelerando a cada passo, rumo ao mesanino. Meia noite. Penduro-me na estrutura do jogo de luzes, assistindo a um mini clipe contando a história do Bar. Silêncio momentâneo, e os gritos começam. O solo de guitarra não deixa dúvidas, Te Levar é a abertura do show. Segundos depois... ele entrou. E eu senti minha pressão subir e cair numa fração de segundos. Eu finalmente estava vendo-o ao vivo. Foram 9 anos de espera e eu finalmente estava ali, a poucos metros dele. Alexandre Magno Abrão. Aquilo era real? Ou era um sonho muito perfeito?
Eu acreditei em Deus a minha vida toda. Mas eu só fui ter fé, realmente fé nele... depois que eu vi o meu sonho de infância se concretizando. Nove anos rezando todas as noites para te ver cantar, para ouvir a tua voz, para ter mais certeza ainda que sem a tua música, eu não seria nada. Humildade, fé, coragem, ritmo, ritual, responsa. Aquilo finalmente era de verdade. Eu estava lá irmão, eu te vi. Tu talvez não tenha me notado em meio aquela legião de fãs. Mas eu notei cada sorriso teu, cada música tua, cada palavra. Foi bem mais do que perfeição, foi algo inexplicável. Devo tudo a ti e a meu irmão nessa vida. Meu irmão por ter me apresentado tua história em melodia e por ter realizado meu sonho de te conhecer. E a ti... por ter simplesmente me traduzido em música durante todos esses anos, me dando conforto nos momentos de maior solidão. Salve salve os verdadeiros arquitetos da música brasileira, SALVE CHARLIE BROWN JR !

sexta-feira, 9 de março de 2012

Idas e vindas

                Ironia é a palavra mais presente em cada centímetro do meu ser, em cada mínimo detalhe. Eu, sempre tão dona de verdades irrefutáveis caí na traiçoeira armadilha das incertezas. Logo eu. Que estranha sensação. Sempre soube que nem tudo são arco-íris e borboletas no caminho, mas de certa forma, todos sempre mantemos aquela tola esperança de que em algum ponto do caminho encontremos apenas isso.  Queremos e ansiamos tanto para que tudo se facilite. Nada é fácil, já deveríamos ter nos habituado a isso. Por certo talvez esse trecho exista, em certo ponto. Mas estamos tão ocupados usando o espelho retrovisor que esquecemos de sentir as calmas brisas da perfeição momentânea. Somos estúpidos, de fato. Esquecemos que o verbo “amar” não pode ser conjugado no passado, esquecemos que não podemos dar ré, que não podemos engolir palavras de volta e que não podemos desfazer atitudes. Um dos piores defeitos humanos,  não vemos que podemos evoluir no futuro, ficamos incessantemente tentando consertar o passado. Mesmo tendo a chance de fazer melhor no presente, queremos o que já se tornou apenas mais uma página escrita em um livro de memórias que chamamos de lembrança.
                E talvez esse seja realmente o maior mistério da humanidade : o dia de amanhã. Tudo pode mudar numa rapidez tão extraordinária que quase somos atropelados pelos fatos que se sucedem. Nenhum de nós é autorizado a usar a expressão “nunca mais”. Afinal de contas, nenhum de nós conseguiu a grande façanha de chegar até o fim do caminho e voltar para saber até onde os fins vão, e os começos acabam.